Ensino Híbrido: Modelos Disruptivos

O ensino híbrido está em voga atualmente pela sua grande capacidade de personalização do ensino, fator importante para o desenvolvimento de metodologias específicas para cada indivíduo de acordo com suas habilidades e competências.

Devido à capacidade de abordagens diferenciadas, o ensino híbrido é atualmente dividido em duas grandes categorias: os modelos sustentados e os modelos disruptivos.

O que são os modelos disruptivos?

Os modelos disruptivos são chamados desta forma, pois alteram o modelo tradicional de ensino e leva à integração da sala de aula com outros espaços da escola e com membros da equipe gestora ou da equipe de apoio. São eles:

– Rotação individual

Neste modelo cada aluno possui uma agenda individual de tarefas a serem cumpridas. Essa agenda é planejada pelo professor (com objetivos claros) para que o aluno percorra, em uma determinada ordem, as estações de trabalho de acordo com o seu perfil, habilidades e dúvidas. Neste modelo, as estações podem ser em diferentes ambientes da escola como o laboratório de informática, uma sala para debates, uma sala para exercícios e mais outras salas com diferentes atividades a critério do professor. Este modelo possibilita que alunos de diferentes anos possam interagir e obter ajuda mútua. Isso contribui para que os alunos ajudem uns aos outros e fixem o conteúdo.

– Flex

Neste modelo, o aluno possui uma agenda de atividades sem determinação de sequências a seguir. O aluno pode aprender com recursos online, em grupo ou apenas com o auxílio do professor. No modelo flex o estudante é um agente ativo na construção do conhecimento.

– À la carte

Nesse modelo o aluno tem apoio educacional online com tutores de acordo com suas dúvidas e habilidades e, ao mesmo tempo, continua com as aulas tradicionais na escola. O apoio online pode ser em casa, na própria escola ou em outros locais.

– Virtual aprimorado

Nesse modelo todas as atividades e aulas são online. Pode-se agendar tutorias presenciais, geralmente individuais (somente um aluno com o tutor por vez). Neste modelo, raramente os alunos se encontram todos os dias com seus tutores.

Como obter dados para intervir objetivamente na aprendizagem de cada aluno?

Para a eficácia do ensino híbrido os professores precisam ter dados reais sobre o desempenho de cada aluno. Obter dados reais acerca do desempenho de cada aluno não é tarefa fácil e por isso existem ferramentas que contribuem nesse sentido.

Em todos os modelos disruptivos apresentados, é possível a utilização de jogos educativos digitais, já que o aluno está, na maioria das vezes, em contato com computadores e outros dispositivos digitais. E assim, a GoEduca surge como grande aliado à esses modelos de ensino híbrido. Mas, além dos jogos educativos digitais que consolidam a aprendizagem, a GoEduca entrega dados reais sobre o desempenho individual de cada aluno, o que o faz ser uma ferramenta essencial para as escolas que almejam aumentar o engajamento e potencializar a aprendizagem dos seus alunos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *